Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Aqui, sem ti

Aqui, sem ti

Uma carta para ti.

Estou a escrever esta carta para mim, porque tu nunca a vais ler. Mudaste a minha vida, não sei se foi para o lado bom, ou para o lado mau, contigo aprendi a amar, mas também aprendi que não se deve confiar no amor - é traiçoeiro. Contigo e por ti senti tudo, do amor ao ódio, do A ao Z. Neste momento a única coisa que sinto por ti é... nem sei, não tenho palavras para expressar uma coisa que já não é, que já foi... Partiste sempre de uma maneira simples, ias, mas voltavas. Agora se voltares não te vou receber, nem de braços abertos nem de braços fechados, simplesmente vou fechar os olhos e partir, como tu sempre fizeste. Podes nunca te ter apercebido mas cada vez que ias ficava vazia, tu preenchias-me, eu era tu, toda e por completo, entreguei-me em demasia, confiei. Agora continuo vazia, e mesmo que voltasses não me irias preencher, já foste uma coisa que nunca mais voltarás a ser para mim. Vou sempre ter-te no meu coração, este que já bateu por ti, e que continua a bater, mas agora por mim. O caminho é para a frente, o passado ficou lá atrás, não volta mais e neste momento consigo perceber que já não és mesmo o que eras para mim, e como é que eu sei perguntar-me-ias se lêsses isto, sei porque as ultimas vezes que escrevi sobre ti chorava, muito ou pouco conforme os dias, mas chorava, e agora? Agora nem uma lágrima deitei (escrevi isto com um sorriso na cara, acredita).

Um beijo daquela que sempre vai estar aqui para ti se precisares, sem rancores, mas não da mesma forma.